A
A
voltar ao inicio

‘Emprego dos sonhos’ é conversa de privilegiados?

01/02/2021MERCADO DE TRABALHO
Emprego dos sonhos é conversa de privilegiados?

Dizem por aí que sonhar não custa nada. E é verdade.
Podemos mesmo sonhar bem alto, bem longe e profundo, que é grátis! Nossas vontades, habilidades e propósitos não devem ser podados ou limitados.

O problema é que não é só sair por aí sonhando e querendo um monte de coisas. É preciso também conseguir bancar os próprios sonhos... E fazer acontecer cada um dos planos que nós construímos não é algo fácil. Afinal, só a chuva cai do céu. As realizações não. Normalmente, elas só são conquistadas com muito esforço, foco, determinação, disciplina e... privilégios.

Pensando nessa temática que foi o #15º episódio do Trampapo `Empregos dos sonhos: O que são? Onde estão? Como se reproduzem?` , precisamos ser honestos e dizer que essa história de trabalhar com aquilo que amamos, aqui no Brasil, é uma romantização de algo que parece até um conto de fadas que foi vendido como atingível para qualquer um. Mas a verdade é que empregos bons, que respeitam integralmente os trabalhadores e que podem ser ‘escolhidos’ são restritos a poucas pessoas em posições sociais mais elevadas, até porque, para a população que está preocupada em conseguir colocar a comida na mesa, pagar o aluguel e manter os filhos exclusivamente estudando, sem que eles tenham que trabalhar pra ajudar em casa, é uma utopia pensar em rejeitar uma oportunidade de trabalho sob a desculpa de que esse emprego não vai trazer satisfação profissional.

Em nossa sociedade desigual, os trabalhos que, normalmente, ninguém gosta de fazer são empurrados às pessoas que têm menos qualificação, que muitas vezes não tiveram oportunidade de se dedicar aos estudos durante a infância, adolescência e na fase adulta. Esses empregos, que geralmente colocam os trabalhadores em situações degradantes, só existem por um motivo: existem pessoas que PRECISAM sobreviver. Esses empregos oferecem migalhas em troca de serviços pesados porque, para os patrões, “essa quantia e esse tratamento está bom até demais para quem não tem estudo”. E, para quem precisa, é aquele velho ditado ‘é melhor pingar, do que faltar’. E assim segue girando essa roda das relações trabalhistas. Essa roda que, na verdade, está mais para um rolo compressor, passando por cima de sonhos, necessidades e humanidade de milhões de pessoas.

Então, quer dizer que pra quem não está em uma situação de privilégio social, sonhar alto e com um emprego que lhe traga satisfação é estar fadado ao fracasso e à frustração?

Não! O Trampapo é o mais otimista dos podcasts! A gente sabe que muita coisa está errada e é por isso que nós trazemos tantas questões em pauta que são extremamente problemáticas. Mas nós vemos a realidade como algo em constante movimento. Ontem, as coisas estiveram piores do que hoje. E hoje, piores do que amanhã.

‘Emprego dos sonhos’ pode ser, simplesmente, O SEU!

Esse não é um pedido para você se conformar com o emprego que tem hoje e sorrir largamente de gratidão como se nada estivesse errado em seu trabalho. Mas é um pedido para você buscar propósito em cada simples ação que tomar. Seja fazendo o que você faz hoje para ganhar dinheiro, seja na construção dos seus objetivos ao longo prazo. Tente ter prazer em ajudar as pessoas que cercam sua rotina de trabalho, sejam elas colegas, clientes, pacientes, chefes ou qualquer um. Tente desenvolver novas habilidades que possam, no presente e no futuro, te ajudar a conquistar aquele tal sonho. Tente estar aberto a conhecimentos que sua atual situação profissional te proporciona. Afinal, como otimistas que somos, acreditamos que a jornada que você está percorrendo agora é exatamente a que você precisa percorrer para evoluir para o próximo passo.

Mas você também pode sonhar com o melhor. Sonhar alto!

Se você usar o momento de agora para agir, o futuro que você quer pode ficar mais próximo e tangível.
As oportunidades não serão fáceis se você não nasceu em uma família influente, com negócios ou contatos que te favoreçam na hora de buscar um emprego ou conseguir apoios para começar um novo projeto. Mas não há dúvidas que o sucesso vem também para quem não mede esforços para conquistá-lo

Talvez você não queira começar em uma empresa como atendente, auxiliar de produção ou algum cargo com o qual você não se identifique ou, pior, deteste fazer. Mas se você exerga ali uma oportunidade de crescimento e de entrada para aquela área em que você sonha em trabalhar, por que não tentar? Muitas empresas oferecem programas de crescimento internamente.

Se você sonha em ter um trabalho menos tradicional, como ser, por exemplo, ser cantor profissional e viver de música e arte, por que não começar a expor suas habilidades nas redes sociais, perder a timidez e dar a cara a tapa?

As oportunidades só podem ser vistas por quem as faz acontecer. Mesmo com dificuldades, se você é a pessoa responsável por construir as suas próprias oportunidades e caminhos para resistir, por que você não teria condições de alcançar seus sonhos?

Vem saber mais! #DicaExtracurricular

No episódio #15, além da Xonani e do Ricardo, que estão mega felizes com os empregos que têm hoje, convidamos doi participantes especiais.
Aproveite para conhecê-los e saber quais foram suas dicas extracurriculares!

Duda Almeida




Duda Almeida é roteirista de produções audiovisuais, já escreveu para a Netflix e hoje trabalha na O2 Filmes escrevendo para a Globoplay. Como dica no podcast, ela recomendou:

Filme: Café com canela (2017)
Para Duda, em uma das cenas do longa, surge um diálogo com uma mensagem que ela se identifica muito sobre o que é ‘fazer cinema’ e o propósito de quem trabalha nessa área.

Renato Braga Sacco



Renato Braga Sacco é treinador das categorias de base do futsal de Taboão da Serra e foi jogador de futebol profissional, chegando a jogar internacionalmente.
Como dica de conteúdo, ele sugeriu:

Entrevista sobre a história do Ronaldo Fenômeno Renato conta que acha importante conhecer histórias capazes de nos inspirar a irmos além das dificuldades, sejam elas físicas, financeiras ou quaisquer outras. A história do Ronaldo, para ele, é uma dessas que o motivam a dar o seu melhor.

Dicas dos hosts:

Série: Sintonia
Ricardo Morais acha importante a abordagem da série sobre como vencer desafios e materializar os sonhos no contexto da juventude da região periférica de São Paulo.

Bate papo com Vitória Ferreira, jogadora da seleção brasileira feminina ⚽ | Não enrola com Xongani
Ana Paula Xongani diz que essa entrevista conta sobre os caminhos que essa jovem percorreu para concretizar seu objetivo como mulher no futebol.

Produzido por

Politica de privacidade